Mensagens

A mostrar mensagens de Maio, 2009

o maravilhoso mundo da p a l a v r a

ESCRITACRIATIVA PARACRIANÇAS : ateliers com Ana Leonor Tenreiro na Casa Semente, Alvalade, em Lisboa.

O que é uma história? Como se faz? Para que serve? Onde se escondem as ideias? De que é feita a imaginação? Para escrever é preciso ter jeito? Destinado ao público de “palmo e meio”, estes ateliers vêm ajudar as crianças a viajar pelo mundo das histórias, sem medo das palavras, com a confiança própria da Infância. Graças a divertidos jogos/exercícios de escrita - que anda de mão dada com o desenho e o teatro! -, todos são convidados a inventar, construir e partilhar histórias. Não deixem a caneta fechada no estojo e o papel guardado na gaveta! Apareçam aos sábados na casinha Semente, em Lisboa! Eu sou a Ana Leonor Tenreiro [altenreiro@gmail.com] e vou estar convosco durante o mês de Junho, todos os sábados à tarde, das 15h30 às 17h! Ou muito me engano, ou este mês vai ser cheio de sonhos e aventuras! E há lá melhor maneira de começar o Verão?
Para crianças dos 6 aos 9 anos abrimos um se…

OMA

Hoje, 27 de Maio, pelas 11h, a UMAR (União de Mulheres Alternativa e Resposta) convida a comunicação social para uma iniciativa na Praça do Comércio, em que serão divulgados os dados finais do Observatório de Mulheres Assassinadas (OMA) relativos a 2008, assim como os casos de homicídio já recolhidos para 2009. Simultaneamente, no Ministério da Administração Interna (MAI), será entregue um dossier com toda a informação recolhida, relativa aos 46 casos de homicídio de 2008.



Faces de Eva 21

Imagem
É apresentada esta quarta-feira, dia 27 de Maio, a edição 21 da revista Faces de Eva.Estudos sobre a mulher (CESNOVA - FCSH/UNL), às 18h00, na Fundação Calouste Gulbenkian. O tema de capa desta edição é Madalena Azeredo Perdigão, primeira directora e impulsionadora do Serviço Acarte, após ter dirigido o Serviço de Música (até 1975). Criado porque «fazia falta no panorama cultural português um serviço voltado para a cultura contemporânea e actividades artísticas de vanguarda» nascia no Centro de Arte Moderna a 17 de Abril de 1984 o Serviço de Animação, Criação Artística e Educação pela Arte. Semestral, esta revista é editada pela Colibri, e tem desde o seu início como directora Zília Osório de Castro. A presente edição é coordenada por Joana Henriques e Isabel de Jesus.

Os direitos da mulher e da cidadã, segundo Olympe de Gouges

Imagem
Segunda-feira, dia 25 de Maio, pelas 20h30, no Instituto Franco-Português (Av. Luís Bivar, 91, Lisboa) há leitura encenada por Elsa Solal e Diogo Dória: «Olympe, la décapitée de la République», seguido de um debate sobre A MULHER NA POLÍTICA com Elsa Solal (escritora, actriz e professora universitária), Diogo Dória (actor), Irene Pimentel (historiadora), Maria Belo
(psicanalista, ex-deputada europeia e professora universitária) e Sandra Monteiro (directora do Le Monde diplomatique - edição portuguesa). A entrada é livre.

II CICLO DE MULHERES PALHAÇO

Está a decorrer em Lisboa, na Costa do Castelo, na Tenda do Chapitô, o II ciclo de mulheres palhaço. Nola Rae Natural de Sidney, emigrou para Londres muito nova. Estudou Ballet na Royal School em Londres e mais tarde tornou-se actriz mimo e aperfeiçoou as técnicas mímicas estudando em Paris com Marcel Marceau. Amante de Shakespeare, Nola Rae trabalha com John Mowat, encenador da Companhia Chapitô, diversos textos do autor, transformando tragédias shakespearianas em comédias. Mas é a partir de 1990, com Elisabeth’s Last Stand, que Nola muda radicalmente o seu estilo transformando personagens da comédia dramática em personagens contemporâneos, as quais reflectem os vícios e medos do dia a dia.
Elisabeth’s Last Stand
No final da sua vida, quando tinha 70 anos, Isabel I de Inglaterra permaneceu de pé, durante 15 horas, no tribunal, período após o qual, persuadida pelos já exaustos pajens, sentou-se. Receosa, ela nunca mais se voltou a levantar. Esta é a imagem que inspirou o espectáculo e …

O cinema era o nome dele do meio

Quando em 2006 tive a sorte de ser convidada por uma produtora para participar no documentário sobre João Pedro Bénard da Costa (7.02.1935 - 21.05-2009) pude aproximar-se dele para o entrevistar - o que aconteceu em duas sessões não contínuas - e admirar o anfitrião/programador/director da casa que mais frequentei nos anos 80 e 90 - a Cinemateca Portuguesa. Depois de tantos filmes e mais filmes (e muitos, revistos) aproximar-me e entrevistá-lo foi, não só, o fim de um ciclo, como a secreta sensação de «a coisa certa no sítio certo». O mundo era justo e o meu quinhão de justiça no que ao cinema diz respeito e a Bénard (um e outro, são por vezes o mesmo) estava resolvido. As duas entrevistas que lhe fiz foram longuíssimas, mas com ele, o 'tempo ardeu que nem pau de fósforo'. O guião do documentário em causa foi construído mediante material vindo dessas duas entrevistas e de mais quase duas dezenas de entrevistados/as. Uma orquestra de vozes, amizades, afectos, cinefilias, e luga…

Generarte

A artista portuguesa Andrea Inocêncio irá apresentar uma performance na primeira edição do Festival Generarte em Buenos Aires, um festival de artes de, e para todos os géneros que persegue os seguintes objectivos: «dar visibilidade à perspectiva de género para uma vida sem discriminação e com mais igualdade; fortalecer o intercâmbio intercultural através da participação de artistas de várias nacionalidades e origens; dar visibilidade ao Instituto Social y Político de la Mujer (ISPM) y del Servicio de Voluntariado Europeo. Os temas desta edição que se realiza entre 28 e 30 de Maio são o Mainstreaming de género, Igualdade de oportunidades, e o Diálogo intercultural.

Madalena

Imagem
A edição 21 da Revista Faces de Eva.Estudos sobre a mulher será lançada no próximo dia 27 de Maio, pelas 18h00, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa. O tema de capa é Madalena Azeredo Perdigão.


museu (II)

Imagem
No dia internacional dos museus aqui deixo a memória recente de idas ao museu:de cima, para baixo - museu de ponta delgada (2004, são miguel, açores); museu nacional de etnologia, actual exposição «mulheres de naya» (a não perder), e panos da guiné-bissau; «100% bronze, o corpo e o traje» (maio 2007), museu nacional do traje; «entre a palavra e a imagem» (2007), museu da cidade. visita um museu! ou dois :)

museu m e n a (revival)

Imagem
se houvesse o (tal) museu m e n a, estas seriam algumas das obras patentes, ou o início da colecção - mesmo que tivesse de contar com o contributo dos nossos museus (reais:)
parabéns mena! para o dia do teu aniversário esta é a banda sonora imaginária - deolinda, três músicos e uma cantora que estão de parabéns, pois ganharam ontem o globo de ouro para melhor revelação - uma música alegre, colorida, rica musicalmente e cantada em português e talvez por isso um pouco nostálgica, mas não muito. ao vivo, assemelha-se a teatro musical. ganharam ontem o globo de ouro para melhor revelação.
foto: «dance», paula rego.

foto: colar (Ouro; Período: Bronze Final: c.900-700a.c.); arrecadas e brincos (Ouro; Período: 2ªIdade do Ferro), Castro da Cabeça de Vaiamonte, Monforte, Portalegre. Espólio Museu Nacional de Arqueologia.

foto: «Meninas» de Sarah Afonso (1899-1983). Pintora, ilustradora, desenhadora.

foto: «territórios do brilho», Dulce Ferraz, joalharia contemporânea.


«Deolinda» (2008).

Ouvir Antony

antony esteve no coliseu dos recreios, em Lisboa, na quinta dia 14. terá sido uma noite memorável, para quem o ouviu. como o foi aquela noite de maio em 2005, quando se apresentou na aula magna, com o seu grupo, e como já tinha sido para mim a descoberta da sua voz num concerto que houve há meia dúzia de anos em Coimbra, com lou reed, onde antony participou. a cidade das mulheres não queria deixar de partilhar esta canção, a última do concerto de quinta no coliseu, para sentirmos a voz deste cantor ímpar. para quem quiser «ouvi-lo» lendo-o, consulte o Observer de hoje, onde Peter Conrad o entrevista, e onde antony fala também de Portugal.

O dia C

lembrei-me de olhar para o calendário, com olhos de ver, e memória a funcionar. não é que se fez luz, sobre este dia já de si tão iluminado? há três anos iniciei este 'jornal de parede electrónico' ou blogue :) o dia hoje é portanto de comemoração na cidade das mulheres. impõe-se aqui um agradecimento especial a todas aquelas que me têm lido e às minhas colaboradoras e colaboradores informais, que não são muitas, mas são boas. obrigada Eduarda, obrigada Nati, obrigada Mena, obrigada manuel, obrigada miss Soares, obrigada jorge, obrigada Almerinda, obrigada Cat! um agradecimento (póstumo) a Christine de Pisan (n. Pisa, 1363), pois foi a ela que fui buscar o nome para dar a este blogue, e não ao filme com o mesmo nome, de Federico Fellini, como se poderia também pensar. e claro um agradecimento geral a todos os visitantes do blogue, e aos comentários que vão deixando e que são bastante motivadores para que o meu trabalho continue a ser feito. em Março houve um (outro) dia …

Até que o dia se faça noite... nos museus

Imagem
O dia internacional dos museus, a 18 de Maio, começa a ser comemorado HOJE. Veja como, onde, e divirta-se! tome um banho de cultura!

Foto: Instalação Andrea Inocêncio, «A chuva não cai da lua», patente em junho/julho 2008, na galeria pedro serrenho, inserida no programa cultural do congresso feminista 08.


Campanha 50/50 (II)

Mulheres e Homens na Participação Política 2009

Este é um ano decisivo para a democracia: é um ano de eleições e de nomeações. Na Europa, para o Parlamento Europeu e para a Comissão Europeia. Em Portugal, para a Assembleia da República, Autarquias e Governo. A participação igual de mulheres e homens é uma exigência da democracia. E qual é a situação actual? No Parlamento Europeu, 75% da representação portuguesa é assegurada por homens; 79% dos deputados eleitos para a Assembleia da República são homens; em 2007, foram eleitos 39 homens e 8 mulheres para a Assembleia Regional da Madeira; na Assembleia Regional dos Açores, apenas 15,8% de deputados eleitos é do sexo feminino; nas autarquias, 6,2% das Presidências são asseguradas por mulheres; e 21% das vereações são desempenhadas por mulheres. As eleições europeias estão a aproximar-se rapidamente! Assine a campanha por uma igual representação das mulheres nas posições de tomada de decisão na Europa, se quiser reforçar a sua voz pela igu…

Traoré

Rokia Traoré, a cantora nigeriana, canta no próximo dia 28 em Lisboa, no Lux-Frágil.

London calling

Imagem
Apontar na agenda: «women's edition», Londres, dia 10 de Maio, debate sobre o(s) feminismo(s). Entretanto, mais em pleno Verão, e na Universidade de Nottingham realiza-se no dia 2 de Julho um workshop aberto a estudantes de doutoramento, bem como a investigadores, subordinado ao tema «Exploring Feminist Dilemmas: A Problem-Centred Workshop».

E depois das conferências, o cinema na BMRR

Entre a próxima sexta-feira e dia 15 de Maio é possível ver cinema documental na Biblioteca-Museu República e Resistência (Espaço Cidade Universitária), na Rua Alberto Sousa, 10 A - Zona B do Rego, em Lisboa. Mas nesta quarta-feira, às 18h30, ainda há tempo para assistir a «Marginalidades e Lazeres» por Paulo Guinote e Emília Ferreira, a última conferência do ciclo «As mulheres na 1ªRepública. Percursos e imagens», organizada por Faces de Eva.Estudos sobre a mulher (CESNOVA/FCSH/UNL). Quanto aos filmes da BMRR, eis o calendário.
8 Maio: China Blue de Micha X. Peled 87', EUA, 2005, às 18h30
Um impressionante documento sobre os efeitos secundários da globalização, vista através do árduo quotidiano de jovens trabalhadoras de uma fábrica de calças de ganga na China. As condições de trabalho que Jasmine e as suas colegas adolescentes estão sujeitas no dia-a-dia desrespeitam todas as normas laborais internacionais. O que é ainda mais agravado quando o proprietário da fábrica fecha um impo…

Migrantes

Irá realizar-se amanhã, dia 6 de Maio, uma conferência de imprensa para lançamento da Carta Aberta sobre políticas de imigração, pelas 17h, no Centro de Informação Urbana de Lisboa (CIUL) - Picoas Plaza (Rua Viriato, 13 E-1º).
Carta Aberta sobre políticas de imigração
A todas as cidadãs
A todos os cidadãos
Aos responsáveis dos Órgãos de Soberania
Aos Partidos Políticos
O ano de 2009, ano para o qual está prevista a realização três actos eleitorais, é um momento decisivo para o debate sobre as opções a tomar em temas cruciais como é o caso das políticas de imigração. Mais de um ano após a entrada em vigor da nova Lei de Imigração, as expectativas criadas aquando da sua aprovação não foram cumpridas e, embora a nova lei visasse tentar minorar alguns dos aspectos mais gravosos verificados na anterior, são inúmeras as situações de injustiça com as quais os/as imigrantes se deparam no seu dia-a-dia, das quais destacamos:
· O carácter excepcional e oficioso dos mecanismos de regularização, a exig…

eu voto!

«Nesta data foi dado o direito de voto às mulheres diplomadas, com cursos superiores ou secundários, nos termos do Decreto com força de lei nº19694, de 5 de Maio de 1931. Aos homens exigia-se apenas que soubessem ler e escrever». (in Agenda Feminista 2009, coord.Luísa Boléo, ed.Umar).

Luísa

Imagem
Inaugura dia 7 de Maio, pelas 21h30, a exposição de fotografia de Luísa Baeta, «inside out» no Palácio Marquês de Pombal, em Oeiras, onde estará patente até 7 de Junho.

«No sorriso louco das mães ...»

No sorriso louco das mães batem as leves
gotas de chuva. Nas amadas
caras loucas batem e batem
os dedos amarelos das candeias.
Que balouçam. Que são puras.
Gotas e candeias puras. E as mães
aproximam-se soprando os dedos frios.
Seu corpo move-se
pelo meio dos ossos filiais, pelos tendões
e orgãos mergulhados,
e as calmas mães intrínsecas sentam-se
nas cabeças filiais.
Sentam-se, e estão ali num silêncio demorado e apressado,
vendo tudo,
e queimando as imagens, alimentando as imagens,
enquanto o amor é cada vez mais forte.
E bate-lhes nas caras, o amor leve.
O amor feroz.
E as mães são cada vez mais belas.
Pensam os filhos que elas levitam.
Flores violentas batem nas suas pálpebras.
Elas respiram ao alto e em baixo. São
silenciosas.
E a sua cara está no meio das gotas particulares
da chuva,
em volta das candeias. No contínuo
escorrer dos filhos.
As mães são as mais altas coisas
que os filhos criam, porque se colocam
na combustão dos filhos, porque
os filhos estão como invasores dentes-de-leão
no terreno das mães.
E …

Os golpes deles

Já os tinha ouvido. Ouvide-os. Ou vídeos (como este). Ovídio (também gosto). Os golpes é o que se está a ouvir agora na cidade das mulheres. Cantar em português faz outro(s) sentido(s) - «A marcha dos golpes».