30.11.09

Mulheres na arte (III)



Uma exposição, a não perder, para quem está em Lisboa. «There are as many different kinds of art as there are different women» (Linda Nochlin). Reúne várias obras de artistas como Louise Borgeois, Vera Mantero, Paula Rego, Cindy Sherman, Ana Mendieta, Francesca Woodman, entre outros nomes. Atenção ao programa de actividades, que promete também. Curadora e curador, respectivamente: Ana Rito e Hugo Barata.

27.11.09

Amelie



Bom fim de semana!

Violência Contra as Mulheres

Será apresentado amanhã em Lisboa o ramo nacional do observatório sobre violência contra as mulheres do Lobby Europeu das Mulheres, a partir das 9h00, e com encerramento dos trabalhos às 16h30 (Hotel Sana Reno, Av.Duque D'Ávila, 195/197).

25.11.09

Desaparecidas

Este é um dia para lembrar. Definido no I Encontro Feminista Latino-Americano e do Caribe, realizado em 1981, em Bogotá, Colombia, 25 de Novembro é o Dia Internacional da Não-Violência contra a Mulher. A data foi escolhida para lembrar as irmãs Mirabal (Pátria, Minerva e Maria Teresa), assassinadas pela ditadura de Leonidas Trujillo na República Dominicana. Em 1991 foi iniciada a campanha mundial pelos Direitos Humanos das Mulheres, sob a coordenação do Centro de Liderança Global da Mulher, que propôs os 16 dias de activismo contra a violência contra as mulheres, que começam a 25 de Novembro e encerram-se a 10 de Dezembro, data do aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, proclamada em 1948. Em Março de 1999 a Organização das Nações Unidas (ONU) proclamava 25 de Novembro o Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres.

O dia é assinalado hoje em Lisboa com o lançamento da campanha Maltrato Zero, iniciativa que decorre em simultâneo nos 22 países ibero-americanos. O vice-presidente da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG), Manuel Albano, disse à Agência Lusa que a «grande mensagem da campanha é alertar as pessoas para que denunciem situações de violência contra as mulheres, no sentido de ajudar a combater esta realidade. Spots de rádio, televisão, cartazes, informações e um site na Internet são algumas das componentes da campanha.»


Desde o início deste ano já morreram em Portugal 26 mulheres, às mãos dos seus agressores, maridos, ex-companheiros, ou namorados. O ano anterior tinha fechado com o pesado número de 40 mulheres mortas. Mas 2009 ainda não terminou e para já são estas as
Desaparecidas.

24.11.09

Faces de Eva 22


A próxima edição da revista Faces de Eva Estudos sobre a mulher será lançada amanhã, 25 de Novembro, 18h00, Biblioteca Nacional, com a intervenção de Idalina Rodrigues (Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa).
O tema de capa é Carmen de Burgos, a escritora e feminista espanhola também conhecida como 'Columbine' que se correspondia com Ana de Castro Osório, e tinha casa em Portugal. A edição 22 de Faces de Eva é editada, como sempre, pela Colibri e pela UNL (FCSH). Na fotografia, em baixo, vemos as duas intelectuais (à esquerda ACO e à direita Columbine).

23.11.09

Teresa


Na foto: Teresa Lobo, presente na artelisboa (FIL).

19.11.09

Activismo 16

São 16 dias de activismo, contra a violência de género. Consulte a programação na UMAR.

Arte feminista e de género (II)


18.11.09

Maja



Maja Presnell, «The Park».

Idalina

A socióloga Idalina Conde apresenta pelas 18h00, em Lisboa, a conferência «O espaço biográfico contemporâneo». Será no B.203 (Edíficio II) do ISCTE-IUL, onde Idalina Conde é docente em Sociologia da Cultura e Método Biográfico. Investigadora do CIES – Centro de Investigação e Estudos de Sociologia, associado ao ISCTE - realizou em 2008 o Curso de Verão «Falar da Vida: (auto)biografias, histórias de vida e vidas de artistas», no CIES, onde organizou também em Fevereiro último o Seminário «Abordagens Biográficas, Memória, Histórias de Vida» que foi integrado nas comemorações do Dia Internacional das Histórias de Vida (a 16 de Maio) em colaboração com os Projectos Museu da Pessoa, Portugal e Memória Media.
A sessão de Idalina procura recontextualizar um quadro de referência para a sociologia e metodologia biográfica, e através desse espaço biográfico abrir as abordagens possíveis à compreensão das nossas vidas.


Carta de Repúdio (II)

«Ao Embaixador da Turquia em Portugal

Com conhecimento ao Presidente da República, Presidente da Assembleia da República, Grupos Parlamentares, Ministro dos Negócios Estrangeiros

Pela Libertação dos homens e mulheres detidos/as arbitrariamente

Em 28 de Maio, 35 activistas de movimentos sociais turcos, de sindicatos, de organizações de defesa dos direitos das mulheres e de defesa dos direitos humanos foram presos ilegalmente, tendo-lhes sido confiscados computadores, CDs e documentos das instalações da Confederação dos Sindicatos do Sector Público e do Sindicato de Professores, entre outras.
Não foram feitas acusações formais contra estes homens e mulheres, tendo sido alegado que o processo era confidencial.
Presentemente são 22 os detidos, sendo a maioria sindicalistas, professores e quatro membros da Marcha Mundial das Mulheres.
O julgamento que devia ter ocorrido a 8 de Agosto, foi adiado para os próximos dias 19 e 20 de Novembro no 10º Tribunal de Izmir. A este julgamento serão presentes os actualmente 22 detidos e mais 9 outros inicialmente presos e depois libertados.
Os abaixo-assinados manifestam a sua indignação pelas prisões ilegais, pelo lapso de tempo entre as detenções e a acusação e pela demora no julgamento destes activistas turcos, assim como pela confiscação ilegal de equipamento, material e documentos.
Denunciam a repressão que se abate sobre sindicalistas, activistas de movimentos sociais e de movimentos de oposição na Turquia.
Exigem a imediata libertação de todos os detidos a quem prestam a sua solidariedade e o fim da repressão contra os movimentos sociais.»

Carta de repúdio

Solidariedade com os/as activistas presos/as arbitrariamente na Turquia

A Coordenação Portuguesa da Marcha Mundial das Mulheres (a que se associam diversas organizações dos movimentos sociais portugueses, com destaque para organizações sindicais, de defesa da paz, de defesa dos direitos humanos, de defesa dos direitos das mulheres e de defesa dos direitos de imigrantes) está hoje pelas 11h na Embaixada da Turquia para entregar uma Carta de Repúdio exigindo a imediata libertação das 10 mulheres e 12 homens presos arbitrariamente desde o dia 28 de Maio.
A iniciativa é um acto de solidariedade que ocorre junto à Embaixada da Turquia em Lisboa (Av. das Descobertas – 22) e terá muitas outras réplicas em vários países da Europa e em todo o mundo. Estão também confirmadas as presenças de um membro do Comité Internacional da Marcha Mundial das Mulheres e de um dirigente da CGTP- IN em Izmir, nos julgamentos a 19 e 20 deste mês.

Para além destes 22 activistas turcos ainda presos, serão julgadas mais nove pessoas inicialmente detidas e depois libertadas. Sem acusação formal, estes homens e mulheres serão julgados em Izmir a 19 e 20 de Novembro, sendo o seu “crime” o serem sindicalistas do KESK (Confederação de Sindicatos de Trabalhadores Públicos) do Sindicato de Professores Egitim Sem, membros da Marcha Mundial das Mulheres, da Associação de Direitos Humanos e da Assembleia Turca pela Paz.

A Carta de Repúdio subscrita por diversas organizações portuguesas denuncia a repressão que se abate sobre sindicalistas, movimentos sociais e de oposição na Turquia, manifesta a sua indignação pela arbitrariedade de todo o processo num total desrespeito pelos direitos humanos e exige a imediata libertação de todos/as os/as detidos/as.

Os primeiros subscritores:Coordenadora Portuguesa da Marcha Mundial das Mulheres
UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta
Solidariedade Imigrante
CGTP – IN
CPPC – Conselho Português para a Paz e Cooperação
SPGL – Sindicato dos Professores da Grande Lisboa
ILGA – Portugal
AJPaz
Casa do Brasil de Lisboa
SOS Racismo

17.11.09

um sentimento intenso e uma flor


Ao primeiro perfume de José António Tenente vai suceder muito em breve o livro sobre este criador de moda. Para já, o que há a dizer sobre este perfume chega-nos nas seguintes notas: topo - bergamota, flor de laranjeira; coração - amor perfeito, violeta, jasmim, frutos vermelhos, orquídea tropical; fundo - âmbar, couro, almíscar, cedro, chocolate. A essência foi criada e materializada pela I-Sensis (10 anos ao serviço das essências e da «arte da perfumaria, com métodos científicos inovadores, desenvolvidos no âmbito de vários anos de I&D na Universidade do Porto»).
Na foto: Ana Isabel, fotografia de Carlos Ramos.

16.11.09

fim de semana musical

Este fim de semana em Lisboa foi muito musical. Começou com o Júlio Pereira (genial Júlio!) no ccb, com a participação de Sofia Vitória (bela voz Sofia!) nas programações, teclados e voz, e Miguel Veras na viola, e ainda com a participação do coro feminino Cramol (que cantaram dois temas... genial Cramol!).
No sábado havia outro concerto, da Omou Sangaré, no ccb; e a oriente da cidade, tivémos Depeche Mode, o que a julgar pelas fotos de rita carmo e pelas imagens em movimento feitas por alguém no concerto do Pavilhão Atântico, deve ter sido um momento precioso. «Precious».



Depeche Mode em Lisboa, 14.11.09

13.11.09

História das mulheres (II)

HERSTORY
«Esta é a história de mulheres que foram revolucionárias. Estas bravas do início de 1900 fizeram toda a diferença para as vidas que nós hoje levamos. Lembrem-se que só depois dos anos 20 foi garantido o direito de ir às urnas e votar.




As mulheres eram inocentes e indefesas, mas quando na América do Norte as mulheres se manifestaram em frente à Casa Branca, mostrando cartazes apelando ao voto, elas foram presas.


Aquelas mulheres dificilmente sobreviveram ao fim da primeira noite na cadeia, acusadas de "obstrução à via pública". Bateram em Lucy Burns algemaram-lhe as mãos acima da cabeça às grades da cela, e deixaram-na ali durante a noite, sangrando e ofegante.



Atiraram Dora Lewis para dentro de uma cela escura, esmagaram-lhe a cabeça contra a cama metálica e ela perdeu os sentidos. A sua companheira de cela, Alice Cosu, pensou que Lewis estava morta e sofreu um ataque de coração. Outros relatos contam as violências físicas praticadas sobre estas mulheres. Assim se desenrolou a Noite de Terror, a 15 de Novembro de 1917, quando o director da prisão de Occoquan Workhouse, na Virginia, ordenou aos seus guardas que dessem uma lição às sufragistas presas porque elas tinham se atrevido a manifestarem-se pelo direito ao voto.
Durante semanas, a única água que elas tiveram para beber era a de um balde, e a sua comida estava infestada de vermes.

Quando uma das líderes, Alice Paul, iniciou uma greve de fome, amarraram-na a uma cadeira, colocaram-lhe um tubo na garganta e verteram um líquido até ela vomitar. Foi torturada assim durante semanas, até se passar palavra para a imprensa.

Todas as mulheres que sempre puderam votar, deter bens, e gozar de direitos iguais precisam de se lembrar que os direitos das mulheres tiveram de ser conquistados. Sabemos hoje qual o preço que foi pago para hoje termos aqui os nossos direitos?


Este ano comemora-se o o 80º Aniversário do Caso "Persons" no Canada, which finally declared women in Canada to be Persons! »

Knowledge is Freedom: hide it, and it withers; share it, and it blooms (P. Hill)

12.11.09

Telenovela e vida real

Christine Geraghty dará hoje pelas 18h30 uma conferência na Universidade Católica, em Lisboa (Faculdade de Ciências Humanas, sala 121), com o título Soap Operas and Television Studies (As Telenovelas e os Estudos Televisivos).
Christine Geraghty é professora de Estudos Fílmicos e Televisivos da Universidade de Glasgow. Os seus interesses são a ficção televisiva e cinematográfica (em especial a adaptação de romances e peças), o cinema inglês (desde 1939), a teoria da televisão, os géneros ficcionais, as audiências, as estrelas de cinema e os estudos culturais.
Editora do Journal of British Cinema and Television e membro do conselho editorial das publicações Screen, International Journal of Media and Cultural Politics, Art, Design and Communication in Higher Education e Critical Studies in Television, ela dirige a Media, Communications and Cultural Studies Association. Esta conferência integra-se no mestrado de Ciências da Comunicação da Universidade Católica, estando aberta ao público interessado.

10.11.09

Carolina Michaëlis


Carolina Michaëlis (1851-1925) – Joaquim de Vasconcelos (1849-1936): Um Encontro de Culturas e de Saberes é uma exposição integrada num projecto em curso, de carácter interdisciplinar, que tem como objectivo evocar e homenagear aquela que foi a primeira Dou­tora em Letras e também a primeira Professora, a todos os títulos insigne, da Universidade de Coimbra, onde leccionou desde Janeiro de 1912, isto é, desde o primeiro ano lectivo da então recém-criada Faculdade de Letras, até 1925, ano do seu falecimento.
Nos três grandes períodos em que foi dividida a vida e a obra de Carolina Michaëlis de Vasconcelos - Anos de Berlim (1851-1876), Anos do Porto (1876-1912) e Anos de Coimbra e do Porto (1912-1925) - a exposição pretende mostrar o que Carolina Michaëlis nos deixou, como filóloga nacional, prestigiada internacionalmente - uma obra pioneira verdadeiramente gigantesca, que se inscreve na intensa e variada actividade de mediação científica e cultural entre Portugal e a Alemanha por ela desenvolvida desde o primeiro ano em que veio viver para o Porto. Carolina Michaëlis foi uma cidadã empenhada na promoção e no incremento do ensino da criança e da mulher na sociedade portuguesa da sua época.

Organização:
Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra
Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra
Coordenação Científica:
Maria Manuela Gouveia Delille

12 Nov. - 18 Dez. 2009
Segunda a Sexta-feira
10h00 às 12h00 e 15h00 às 17h00
Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra -
Sala de S. Pedro

9.11.09

muros

...há muros que cairam, outros que se levantam... Os piores são os que não se vêem.
«Time» dos Pink Floyd («The dark side of the moon» de 1973) evoca aqui os 20 anos passados sobre a queda do muro de Berlim. Enquanto isto a sinfónica vai tocando junto às portas de Bradenburgo, e de seguida o dominó gigante cairá, simbolizando a queda do muro a 9 de Novembro de 1989.

ditadura versus moda

O designer de moda Emanuel Ungaro participa hoje no Estoril Film Festival com uma intervenção intitulada «Quem dita a moda: Os criadores ou as revistas de moda?», no Centro de Congressos e logo após a projecção do filme September Issue (19h30), de R.K. Culter, um documentário que retrata a história de Anna Wintour e da Vogue, enquanto preparavam a edição de Setembro de 2007.

8.11.09

Feminismos


A realizar-se a 20 de Novembro, em Coimbra (Sala Polivalente do IPJ), o seminário «Para Além do Arco-Íris: Activismos LGBT e Feminista nos 40 anos de Stonewall», organizado pela UMAR e Não Te Prives, visa comemorar os 40 anos da revolta de Stonewall e promover uma reflexão crítica dos activismos LGBT e feminista. Esta reflexão construída a partir de vozes vindas da academia e do activismo, contribui para repensar o futuro destas duas áreas de acção colectiva.

5.11.09

quando a jóia fala


A praia Formosa



A Assírio & Alvim, a Porta 33 e o Museu de Serralves realizam hoje, 5 de Novembro, às 18h30 (Rua Passos Manuel, 67 B), em Lisboa, o lançamento do livro e a inauguração da exposição «Lourdes Castro A PRAIA FORMOSA», com fotografias do seu avô Jacinto A. Moniz de Bettencourt, na ilha da Madeira.

4.11.09

Andrea (II)


A PROVA DE FOGO E DE BALA
Andrea Inocêncio

Açores, Ilha Terceira, Angra do Heroísmo

Casa do Sal

Sexta-feira

6 de Novembro

19h00

Nervos de Nylon

Após residência de criação realizada na EIRA33, da masterclass em composição coreográfica na ArtEZ-Dance Unlimited e segunda fase de criação, já no Algarve, realiza-se sexta-feira, dia 6 de Novembro, pelas 19h30, a ante-estreia de «Nerves Like Nylon» na sala estúdio do CAPa - Centro de Artes Performativas do Algarve, em Faro. Muito perto do mar, a sala (como a maré) enche num instante.

Por isso, informações e reservas através do número 91 870 34 16 ou do devir@mail.telepac.pt.


3.11.09

In memoriam Lévi-Strauss

Morreu o antropólogo e etnológo Claude Lévi-Strauss. A 28 de Novembro de 2008 a cidade das mulheres evocava este grande estruturalista, no texto que agora aqui se reedita in memoriam.
«Faz cem anos neste dia 28 de Novembro. Valente. Consegue ser mais velho, uns dias, que o nosso Manoel de Oliveira. O grande etnólogo, membro da Academia francesa, pai do Estruturalismo e da Antropologia moderna, autor de um livro que esteve para ser um romance, e é um relato das suas viagens pelo Brasil - «Tristes Trópicos» (1953) - como Claude conta a 4.5.1984 numa entrevista que deu a Bernard Pivot, e que pode ser vista em dvd: «Les grands entretiens de Bernard Pivot», realização Mikaël Lubtschansky (2004)».

a dobra da poesia


A Assírio & Alvim irá lançar hoje Dobra — Poesia reunida, de Adília Lopes, com apresentação de José Tolentino Mendonça, na sua livraria da Passos Manuel, em Lisboa. Esta será poderá também ser a oportunidade para visitar a exposição de obras e objectos da colecção de Adília Lopes, patente na galeria Assírio & Alvim apenas até amanhã, dia 4.

BIG = bibliotecas pela igualdade de género (II)



A UMAR leva o seu projecto Bibliotecas pela Igualdade de Género (BIG) até São Lázaro, em Lisboa, na próxima sexta-feira, dia 6, pelas 16h30. A sessão conta com Fernanda Martins Reis, Luísa Rodrigues, Pedro Félix (Associação Portuguesa de Defesa do Microcrédito), Joana Sales e Irene Rodrigues (equipa BIG). «Mulheres e lideranças: experiências de microcrédito» na Biblioteca de São Lázaro é de entrada livre.

Uma semana depois, a 12 de Novembro, a Escola Secundária Fernando Lopes-Graça, receberá às 10h30 o Projecto BIG e às 11h00 a comunidade escolar poderá ouvir a palestra «As mulheres e a escrita», proferida por Patrícia Reis.


2.11.09

In memoriam António Sérgio (II)



Patti Smith, «Redondo Beach», 1979

1.11.09

In memoriam António Sérgio

Desde o «Rotação» (1977) até «Viriato 25» (2009) a voz de António Sérgio faz parte da vida de quem gosta de ouvir rádio e aprendeu a gostar dela com ele. Ao ouvi-lo, sempre fui descobrindo novos grupos, cantores, cantoras. Segui os seus gostos musicais e fui formando os meus. Agora o que ele nos deixa ao partir é a memória de uma certa forma de estar na música, através da rádio, composta de mudança, descoberta, rebeldia e prazer de ouvir uma voz que, quando é boa, é insubstituível. António Sérgio, RIP.

Reflexão do dia


Eis uma intervenção da Ex-ministra da Saúde da Finlândia sobre Gripe A, entre outras coisas. Traz com ela uma reflexão que interessa a todos. Palavras-chave: grandes farmacêuticas, excesso de população, limpeza, saúde. Conhecida também como gripe suína, o tema levou-me a pensar numa história muito particular, que já inspirou o cinema, e o cinema de animação: The Animal Farm, George Orwell, 1954. Tenho de voltar a este livro. E em matéria de ficção, há um filme que sempre que se fala de farmacêuticas e de interesses não me consigo esquecer: O Fiel Jardineiro, de Fernando Meirelles, a partir de uma história de John Le Carré, The Constant Gardener. É um filme eloquente e esmagador, cuja acção se passa no Quénia. Mas para já, fiquemos com este excerto momentâneo de O Triunfo dos Porcos. Bom feriado.