25.6.15

moda real

                       















21.6.15

V e r ã o


















Anos 20

menino que estás à janela


                                                Foto-ficção: mr brown (parabéns!)

18.6.15

Mulheres e trabalho






Laura Lee Downs: «Women, work and the transformation of state/ society relations, 1914-18», sexta-feira, na sala polivalente do ICS, em Lisboa.

How has feminist scholarship changed history? Writing Gender History explores the evolution of historical writing about women and gender from the 1930s until the early twenty-first century. With chapters on the history of Europe, the USA, colonial India and Africa, the discussion moves from women's history to gender history, and then to poststructuralist challenges to that history. This revised edition includes an exciting new chapter looking at recent scholarship on race, gender and sexuality in colonial and transnational history, and on the history of the body. Highly accessibly but also encouraging new debate, this book provides students with a comprehensive understanding of gender history, as well as its possible future.


Laura Lee Downs dirige a Cátedra de História do Género no Instituto Universitário Europeu de Florença. Dentro das suas publicações inclui-se Writing Gender History, Londres, Bloomsbury Academic, 2010 (2ªedição).

15.6.15

une place called lamas

Cá está o nosso projecto: une place called lamas by AAL, paula roush, cristina l. duarte, não seleccionado, mas nem por isso menos interessante! O resultado do concurso «unplace - um museu sem lugar» vai ser apresentado na Fundação Calouste Gulbenkian na próxima sexta-feira, dia 19 de Junho, pelas 15h30.

13.6.15

o santo antónio levanta mesmo as saias às raparigas


                                                       foto-ficção: mr brown

12.6.15

variações de antónio


Banda sonora a pensar nas noivas de santo antónio








Legenda: cartaz das festas de lisboa (em cima) ; capa do magazine mensal «Europa» dirigido por Judith Teixeira, Junho 1925 (no meio); etno-sardinha em tecido (em baixo) por CD e Lisbon by night.

In memoriam António Variações: Estou Além.



11.6.15

In memoriam Ornette Coleman




                                                     homenagem.

9.6.15

Maria Ivone Leal

Faces de Eva e as Edições Colibri irão na próxima quinta-feira, dia 11 de Junho, pelas 18h, lançar na Biblioteca Nacional de Portugal, em Lisboa. a 33ª edição da Revista Faces de Eva-Estudos sobre a Mulher, que será apresentada pela Professora Doutora Teresa Pinto. O evento será presidido pela senhora directora-geral da Biblioteca Nacional de Portugal Doutora Maria Inês Cordeiro.

3.6.15

Yesterday





Em cima: Judith Butler e eu, no final da sua conferência, durante a sessão de autógrafos da autora de Gender Trouble,  fotografia de Rakel; no meio, capa do livro de 1990, aqui celebrado, «Gender Trouble, Feminism and the subversion of Identity»; em baixo, conferência de Butler, ontem no maria matos teatro municipal, fotografia de Daisy. Entretanto, a programação do maria matos à volta dos 25 anos de GT continua durante todo o mês de Junho e até Julho. Enjoy.

2.6.15

Today



Depois da sua visita ao Porto em 2008 (Outubro), a filósofa Judith Butler volta a Portugal. Hoje o maria matos, em Lisboa, vai recebê-la no interior da programação que assinala os 25 anos da edição de «Gender Trouble» (Nova Iorque, 1990), o livro em que Judith desenvolve a sua teoria feminista, e que veio a ser globalmente conhecido e texto fundador da teoria queer, como ela nos diz no prefácio da segunda edição (Routledge, 1999). Professora de Retórica e Literatura Comparada da Universidade da Califórnia, em Berkeley,  destacam-se ainda na sua obra, entre outros estudos, «Bodies thar matter» (Routledge, Nova Iorque e Londres, 1993) e «Undoing gender» (Routledge, Nova Iorque e Londres, 2004), de que retiro o seguinte excerto:

«What I call my own "gender" appears perhaps at times as something that I author or, indeed, own. But the terms that make up one's own gender are, from the start, outside oneself, beyond oneself in a sociality that has no single author (and that radically contests the notion of authorship itself)». (p.1)

até logo Judith.