24.4.15

revolution


A revolução tem poesia (dentro) de um Portugal que o povo quis

Mulheres de Abril
somos
mãos unidas

certeza já acesa
em todas
nós

Juntas formamos
fileiras
decididas

ninguém calará
a nossa
voz

Mulheres de Abril
somos
mãos unidas

na construção
operária
do país

Nos ventres férteis
a vontade
erguida

de um Portugal
que o povo
quis

Mulheres de Abril, Maria Teresa Horta

20.4.15

Morreu uma feminista

obrigada por tudo o que escreveste, estudaste, defendeste, ensinaste. a obra escrita deixada às gerações vindouras manter-se-á viva entre nós. estive com ela em vários momentos de encontro entre e com feministas. e, claro, nas suas palestras, para todas e para todos. é assim que vou continuar a lembrar-me dela: sempre simpática, afável, com generosidade no olhar. voltar às páginas escritas por si será uma forma de lembrar esse olhar. 

penso que hoje os feminismos estão de luto. as primeiras feministas portuguesas faziam romagens aos cemitérios, homenageando aquelas e aqueles que partiam. nas mãos levavam cravos brancos. à sua família, amigas e amigos, sentidos pêsames.

Nunca te esqueceremos Ana Vicente.

19.4.15

A cortina com olho de gata



                                   Who said curiosity killed the cat?  

18.4.15

Our sisters (II)

Notícias do outro lado do Atlântico: sisters! are doing for themselves.

Nuestras hermanas (I)