25.4.19

Onde é que estavas no 25 de Abril de 2019?

entrei no metro. destino: avenida da liberdade. na plataforma, um homem encostado à parede. no chão. a ressacar. a pôr o sono em dia? a linha é vermelha. como os cravos. a bandeira que levo comigo é preta, como a dos anarquistas, que assim adoptaram a da fome. liga-me uma amiga - a autora destas fotos - estás onde? a caminho, disse-lhe. já aí vou ter - respondeu a ana. somos todas abril. mas também maio.



avenida da liberdade, com manu, luísa, julieta e paula.




Onde é que estavas no 25 de Abril? (II)

a caminho do liceu rainha dona leonor. presa numa carrinha. sem saber nada. de política e da vida, numa forma geral. tinha 12 anos. a minha irmã viria a nascer em 15 de Julho desse magnífico ano: 1974. para mim, a revolução foi esse nascimento, o da minha irmã. ela é muito mas muito mais à frente do que eu. por isso é que eu continuo no mesmo sítio e ela não.
viva o 25 de abril que há em nós. mas o maio também. amai-o.
cristina

24.4.19

Onde é que estavas no 25 de Abril?

  
«Num salão de cabeleireira, na Boavista. Era tudo uma agitação. Eu estava com uma cliente à espera da minha patroa; a cliente tinha um cão minúsculo que estava no sofá a comer um pastel de nata. O cão é que estava a comer a nata. A patroa nunca mais chegava e eu peguei no telefone para lhe ligar e já só se ouviam as conversa cruzadas. Fui aos escritórios que haviam lá no prédio perguntar se sabiam o que se estava a passar e eles disseram que era uma revolução. Foi tão giro, estava eu a começar a namorar com o meu amor.» Alice.

17.4.19

Diário de bordo de uma perda


I

A um mês e um dia de fazeres anos, deixas-nos. Sozinhas. Mais. Com quem vou eu agora 'partir' os meus assuntos? Com quem vou rir de tudo e de nada? Com quem vou desabafar sobre 'recursos humanos', imateriais ou emocionais? Com quem vou ser eu para ti? Com quem?
Eras única. Para mim. Estou mais pobre. Muito mais. Penso que a riqueza de uma pessoa se vê pelos amigos que junta a sua volta. Muitos e muitas no teu caso.
Tudo me dá vontade de chorar, olhar para o céu, pensar em nós, dos tempos de sociologia, às noitadas no bairro alto, a campanha anual das peras. Eduarda, companheira de sempre, se vires o meu pai, dá-lhe um abraço, 
Cristina

II

Passei Coimbra b. Vou ao teu encontro. Hoje, sem saber de nada, vesti-me com as calças axadrezadas que um dia me ofereceste. Estavam demasiado largas, disseste. Nunca fomos amigas de trocar roupa, números diferentes, mas de (nos) oferecer peças especiais. O teu amor pela roupa e gosto eram parecidos com os meus, embora tu te desfizesses mais facilmente da roupa. Sou muito ligada a tudo. Mas no campeonato do estar ligada, ganhas aos pontos no que toca Beatles. Temos de escolher uma música deles para o dia do teu funeral. Será assim que me despedirei de ti. Nunca soube que canção gostavas mais, estou agora a ouvir em tua memória Eduarda, strawberry fields forever ~

III

Eduarda, consigo olhar para o céu e não chorar. A paisagem está aliás a levar-me para o teu Alentejo, embora tenha acabado de passar o entroncamento. Efeitos do lugar...talvez, pensei em Alentejo porquê? É um bocado como aquele poema do Al Berto, digo mar e o mar entra-me pela janela. Pode obter-se o mesmo efeito com planícies. Olha, a senhora da voz off no comboio diz, 'next stop : Santarém'. Estamos também a aproximar-mo-nos da hora do lusco fusco. O que nós rimos um dia a propósito do empresário do lusco-fusco, encenado pelo gato-fedorento. Como é que vou viver sem ti e sem nos rirmos, uma com a outra, uma para a outra. Como, alguém me explica, como?  (
Em viagem, 16 Abril 2019)




Legenda: numa oficina de automóveis em Lisboa, num cenário realista, homenageava-se o dia do/a trabalhador/a, com o argumento da moda, numa produção para o semanário blitz. estávamos no final dos anos 80. com eduarda ferreira (na foto) e joão tabarra (o fotógrafo).



5.4.19

E que monumento!


Vota por um Monumento aos Movimentos Feministas na Cidade de Lisboa | É Grátis - Basta enviar 64 para o nº 4310. Se tens nº estrangeiro envie 64 para 00351927904200



4.4.19

nova colecção: go with the flow (II)


Todas as estampas são exclusivas e cada peça é cuidadosamente confeccionada por mulheres portuguesas, em Lisboa, visando as leis de comércio justo.




               INEDIT DESIGN:  edição-cápsula de novos padrões: FLOW Collection.

3.4.19

nova colecção ~ go with the flow


Inedit.design foi criada para as mulheres que vivem a vida intensamente e que fazem do mundo um sítio mais colorido. Mulheres Únicas, Confiantes, Inéditas ~ 



                                 https://www.instagram.com/inedit.design/
                                                              recorte de imprensa: aqui

17.3.19

Parabéns Maria Paula


                              Março, 15, há muitos anos atrás: o que elas liam.
               parabéns a uma amiga da cidade das mulheres: maria paula!
                                                 

10.3.19

dia Dois da modalisboa


                                                                     luís carvalho
                                                    outono/inverno 2019/20
                                                   foto: mr dove

Carolina

Carolina Raquel é a vencedora do Sangue Novo, Prémio Modalisboa para melhor Designer Nacional. Foto de grupo (juri e designer) em Vogue on line.




                                              fotografia: mr dove

a dança de mazurca

















novos europeus: awaytomars




                         awaytomars modalisboa outono/inverno 19/20