28.7.15

25.7.15

23.7.15

No Sul

Pelo azul da pedra vê-se que é verão,
à beira do tanque os aloendros devem estar em flor,
as águas reflectem o silêncio.

«Sul», Escrita da Terra, Eugénio de Andrade, Colecção Obra de Eugénio de Andrade/17, Limiar, 5ªedição, Porto, 1983.

17.7.15

há estilismo em porto amboim, parte um


Esta espécie de loucura


Esta espécie de loucura
Que é pouco chamar talento
E que brilha em mim, na escura
Confusão do pensamento,

Não me traz felicidade; 
Porque, enfim, sempre haverá
Sol ou sombra na cidade.
Mas em mim não sei o que há

Fernando Pessoa, in «O Cancioneiro»



Na sombra























Foto: mr brown

a sílaba


Toda a manhã procurei uma sílaba.
É pouca coisa, é certo: uma vogal,
uma consoante, quase nada.

Mas faz-me falta. Só eu sei
a falta que me faz.
Por isso a procurava com obstinação.
Só ela me podia defender
do frio de Janeiro, da estiagem
do Verão. Uma sílaba.
Uma única sílaba.
A salvação.

Eugénio de Andrade

6.7.15

Criadoras de cultura


 Foto: Raquel Wise
Escola de Verão 2015

Hoje: Maria de Lourdes Lima dos Santos: a sociologia da cultura em Portugal.





Cartaz de Maria Keil para Conselho Nacional das Mulheres Portuguesas (CNMP), para a exposição de livros escritos por mulheres, na Sociedade Nacional de Belas Artes, em Lisboa.

Por todas nós

foto-cortesia de Mlle. Vi.  Paris, Museu Militar, junto à igreja onde está enterrado napoleão.