31.12.09

Dois mil e dez






Agarrar as imagens (V)




Díptico de Paula Roush, Lisboa, 2009.

30.12.09

Agarrar as imagens (IV)


A "mulher da Huíla": a Huíla é uma província do sul de Angola cuja capital é a cidade do Lubango (antiga Sá da Bandeira). Esta foto foi tirada perto da fenda da Tundavala e a mulher estava sozinha. Para não atravessar uma pequena barragem (por cima de um muro) deu uma volta enorme para seguir o seu destino.
Isabel Carreira (fotos e texto), Benguela, 2009.

Agarrar as imagens (III)

A "peixeira": vende também o peixe na rua de porta em porta; tem um pregão do género "ah pêe" ao qual acorrem os fregueses; o peixe está colocado no cesto e o líquido que larga é recolhido para a bacia de plástico que está por baixo.


A "quitandeira" retrata a mulher que na rua, ou mesmo de prédio em prédio, vai vender legumes ou fruta; normalmente vive num musseque (bairro da lata) dos arredores da cidade, com vários filhos sendo que o "marido" habitualmente "viajou".

Isabel Carreira (fotos e texto), Benguela, 2009.

29.12.09

Agarrar as imagens (II)


"Meninas": praia da Caotinha, município da Baía Farta, província de Benguela.

"Panos africanos" retrata uma vizinha minha; mora do outro lado da minha rua; tem uma pequena banca, aqui na rua, onde vende guloseimas e assa maçarocas num fogareiro.
Isabel Carreira (fotos e texto), Benguela, 2009.

28.12.09

Agarrar as imagens (e as causas)


Em cima: Guachene. Manjacaze Moçambique
Em baixo: Macasselane. Manjacaze Moçambique
Projecto C.A.S.A - cooperar, aprender, sustentar, agir.

26.12.09

Agarrar as palavras

Palavras que ficam guardadas
nos dias que passam agitadamente...
Estão perdidas?
Não...ficam escondidas em silêncios
que se agitam no passar de um tempo que se apressa.
Há momentos ignorados,
não esquecidos, mas adormecidos.
É preciso acordar...
Fazer dos sonhos realidade,
lembrar quem nunca se esquece...
Sonhar, sonhar, sonhar...
e concretizar num amanhã que se quer de igualdade...
que se quer de amizade...
que se quer de paz...
Que se quer de tod@s...


Carla Cerqueira

23.12.09

entre mim e as palavras

entre tanto o que podia escrever sobre o meu mais recente livro, «José António Tenente - Traços de União» prefiro deixar aqui apenas esta alegria que sinto por poder folheá-lo e quem sabe descobri-lo, agora que tenho a distância suficiente entre mim e as palavras (dele). à equipa das edições inapa e da P6 (design gráfico) o meu agradecimento, pois foram estas equipas que materializaram uma ideia, um desejo e logo um sonho feito agora realidade. para além do prólogo, e da primeira parte onde se desenha a biografia do criador de moda José António Tenente, a segunda, terceira e quarta partes deste livro vivem de um abcedário de conceitos, sobre os quais nos fala Tenente. 'fala com ele' poderia intitular um novo 'filme', para já em livro. Próximo de si numa livraria, ou numa biblioteca.

Cristina L. Duarte

Sisterhood




22.12.09

«Tempo de Luzes»


É um tempo coado
de azevinho.
Com odores de doce

e de memória

O colo da mãe
em desalinho.
A cor da ternura

na demora

É um tempo de luzes
e de linho.
Com sussurros

de cristal e de romã

Lonjura que nos traz
o som de um sino.
Onde o sonho se mistura

com a manhã



Maria Teresa Horta
Natal 2009

Donna Haraway

21.12.09

o-espírito-do-Natal


Postal electrónico de Natal realizado no âmbito do curso de Design da Universidade de Aveiro.

18.12.09

Viagem pela história da Karnart

A KARNART C. P. O. A. A. vai levar a cabo amanhã, 19 de Dezembro, no Teatro da Trindade, a partir das 15.30h o evento Ousar o perfinst – KARNART Passado, Presente e Futuro, em co-produção com o Centro de Estudos de Teatro da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e Teatro da Trindade/Fundação Inatel.

Nesta aventura pelo espólio da estrutura, a Karnart convida o seu público a reflectir sobre a pertinência do conceito de Perfinst (performance-instalação). O evento constará de dois momentos separados por uma pausa de vinte minutos para café: pelas 15h30, visita guiada ao espólio da estrutura, podendo ser consultada pelo público a quase totalidade do material em suporte papel (dossiers de produção, cadernos de encenação, de imprensa, registos de opiniões de espectadores, cadernos criativos, notas aos actores, etc.) e uma parte do espólio digital (entrevistas filmadas, objectos de promoção dos espectáculos e fotografias); pelas 18h00, uma mesa redonda com as presenças de Maria Helena Serôdio, Olga Roriz, Suzana Borges, Luiz Francisco Rebello, Gil Mendo e José Luís Peixoto, moderada por Cláudia Galhós e aberta à intervenção do público.

Aminetu

Aminetu Haidar regressou a casa. Assisti à notícia no euronews e fiquei satisfeita com esta vitória da activista do Sahara ocidental. Mais tarde, consultei a notícia no El País e também no Público. Mas para saber mais sobre a história de Aminetu Haidar, e da sua luta, consulte aqui.

17.12.09

Mulheres, segurança e defesa

Uma reunião da rede informal de mulheres portuguesas activas nas áreas de Segurança e Defesa terá lugar em Lisboa, amanhã, 18 de Dezembro, entre as 16.00 e as 18.00, na Sede do Parlamento Europeu (Largo Jean Monnet, nº 1 - 6). A Reunião da WIIS-PT «Women in International Security» contará com a presença de Elza Pais, Secretária de Estado da Igualdade.

16.12.09

Ann



A autora Ann Jones fala-nos do seu livro Women Who Kill, publicado originalmente em 1980 e reeditado recentemente com uma nova introdução por Feminist Press.

Maria Lusitano










14.12.09

cinema e... filosofia

O Instituto de Filosofia da Linguagem, através do projecto de investigação Cinema & Filosofia, organiza hoje pelas 18 horas, no Auditório 1 da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, uma conferência de Noel Carrol: «Philosophical Insight, Emotion, and Popular Fiction: The Case of Sunset Boulevard». Dado o tema da conferência, será projectado, a partir das 16 horas, no mesmo local, o filme Sunset Boulevard, de Billy Wilder.
Noël Carroll é um distinguido professor de Filosofia do Graduate Center da City University of New York e um dos mais importantes filósofos mundiais no campo da arte e da estética, particularmente na área da filosofia do cinema.
Entre os seus livros mais importantes, destacam-se Philosophical Problems of Classical Film Theory, Princeton, Princeton University Press, 1988, Mystifying Movies: Fads and Fallacies in Contemporary Film Theory, New York, Columbia University Press, 1988, The Philosophy of Horror, or Paradoxes of the Heart, New York, Routledge, 1990; Theorizing The Moving Image, Cambridge, Cambridge University Press, 1996, A Philosophy of Mass Art, New York, Oxford University Press, 1998, Interpreting The Moving Image, Cambridge, Cambridge University Press, 1998, Philosophy of Art: A Contemporary Introduction, New York, Routledge, 1999; Beyond Aesthetics: Philosophical Essays, Cambridge, Cambridge University Press, 2001; Engaging The Moving Image, New Haven, Yale University Press, 2003; Comedy Incarnate: Buster Keaton, Physical Humor and Bodily Coping, Malden, Blackwell Publishing, 2007; The Philosophy of Motion Pictures, Malden, Blackwell Publishing, 2008.

Estado do direito antidiscriminatório

Hoje pelas 18h a Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa recebe Rosario Valpuesta Fernandez, professora da Universidade Pablo de Olavide (Sevilha), para um seminário sobre o Estado e o Estudo do Direito. Intitulada «O Direito antidiscriminatório: o impuso da União Europeia», a conferência tem início às 18h00, na Sala 005, piso 0, daquela faculdade.

13.12.09

natal feminista

A UMAR organiza em Lisboa uma venda de natal feminista, com doces, postais, agenda feminista 2010 («As mulheres e a República») e outros materiais. Hoje é o último dia, na LXFactory/ Ler Devagar, rua Rodriguesa Faria, 103, em Alcântara.
(em baixo, ilustração de antónia tinturé)

12.12.09

FDS 2




















Se está por Lisboa este fim de semana, não se esqueça: há venda de natal feminista, na LX Factory/Ler Devagar, (rua rodrigues faria, 103, em Alcântara) ATÉ domingo: doces, postais, agenda feminista 2010 («As mulheres e a República»), marcadores de livros, peças artesanais, e ainda muitos outros materiais.
Sexta-feira: 21h às 24h00 Sábado: 15h às 24h00 Domingo: 15h às 22h00

11.12.09

FDS



bom FDS, ou seja, big fim de semana. em fundo imagético, fica aqui martin margiela (Paris), com as imagens acima. E fica também uma agradável descoberta desta mulher música: Emilie Simon, que lançou há pouco «Big machine», o seu quarto disco. Mas para aqui seleccionei, de um anterior trabalho, «Dama de Lotus».

10.12.09

Dia internacional dos direitos humanos

É no aniversário da Declaração Universal de Direitos Humanos, adoptada pela Assembleia das Nações Unidas em 1948, que se celebra o Dia Internacional dos Direitos Humanos. O tema escolhido para este ano é «Acolha a diversidade, acabe com a discriminação».

9.12.09

Família(s)


Dia 11 de Dezembro é lançado em Lisboa o livro de Isabel Pinto, «Família», que relata em fotografia a história de 41 famílias ao longo das últimas duas décadas. A apresentação do livro com exposição será feita na galeria Robotarium, na LX Factory, pelas 19h30 (rua Rodrigues Faria, 103, H2.0, em Alcântara).

Sempre apaixonada por pessoas, fotografo há 20 anos. A memória de uma infância passada em Moçambique marcou-me para sempre o gosto pelos grandes espaços, a luz vibrante e o lado luminoso da vida. Retratos, moda, flores, cozinha, viagens e ambientes são o universo do meu trabalho ao longo de todos estes anos em que a fotografia foi felizmente o meu modo de vida. Tive o enorme privilégio de fazer a imagem para marcas como Lanidor, Papo d´Anjo e Petit Patapon. Editoriais para Marie Claire, Elle e Máxima. Livro de cozinha para Mafalda Pinto Leite. Capas de discos para Mariza, Carminho, Aldina Duarte, Camané, António Pinho Vargas, Tereza Salgueiro entre outros. Através da câmara relaciono-me com o mundo. E deixo-me tocar pela sua humanidade.

Isabel Pinto

hoje há lançamento


8.12.09

Bela

...........................................................
...........................................................
...........................................................
...........................................................

Eu não sou de ninguém!... Quem me quiser
há-de ser luz do Sol em tardes quentes;
Nos olhos de água clara há-de trazer
As fúlgidas pupilas dos videntes!

Há-de ser seiva no botão repleto,
Voz no murmúrio do pequeno insecto,
Vento que enfuna as velas sobre os mastros!...

Há-se ser Outro e Outro num momento!
Força viva, brutal, em movimento,
Astro arrastando catadupas de astros!


Florbela Espanca (n.8 Dezembro 1894 - f.8 Dezembro 1930), «Eu não sou de ninguém...», Sonetos

7.12.09

Agenda feminista


Vai ser apresentada na próxima quarta-feira a agenda feminista 2010, editada pela UMAR e Faces de Eva Estudos sobre a mulher, equipa de investigação do CESNOVA (FCSH/UNL). O projecto foi vencedor (em ex-aequo) do Prémio Madalena Barbosa, projecto que se desdobra na criação de uma agenda feminista sobre o tema das mulheres na I República (1910-1926), e no desenvolvimento de um roteiro feminista, sobre a memória dos feminismos em Portugal, e na cidade de Lisboa. A apresentação da agenda feminista 2010 decorrerá no Salão Nobre da CML, pelas 17h00.

6.12.09

A junção do bem

Foi ontem à noite que Francisco Ribeiro apresentou a sua «Desiderata A junção do bem», em Lisboa, no pequeno auditório do ccb. Para além de nos transportar nas asas do seu desejo e de partilhar connosco assim a sua música, Francisco demonstrou ser um grande músico/homem de palco/ actor e intérprete das suas próprias composições. O alinhamento desenhou-se através do disco gravado em Setembro de 2009 na Casa da Música com a Orquestra Nacional do Porto, mas ontem no palco esteve um octeto composto por Francisco Ribeiro, na direcção, voz e violoncelo, José Peixoto, na guitarra, Ângela Carneiro, no violoncelo, Jorge Nogueira, no violino, Sandra Raposo, na viola d'arco, Sofia Barbosa, na flauta, Filipe Dias, no clarinete, e Ricardo Santos, no fagote. Para além de Filipa Pais e Natália Casanova na voz, e de Carlos Mil-homens na percussão.
Como se lê na capa interior do disco, «vai placidamente no meio do barulho e da confusão, lembrando-te de quanta paz existe no silêncio» (in Desiderata por Max Ehrmann). Quanto à música, ela levou-nos pelos caminhos que cada um(a) quer imaginar: do amor, do bem, da alegria e da paixão. Sem saber muito bem como se escreve sobre a escrita que é a música, desde o primeiro momento do concerto deixei a imaginação flutuar à procura de novas visões trazidas por esta «Desiderata...», uma vezes fílmica, outras vezes dramática, outras mais espiritual, mas sempre tão próxima de nós, e das nossas emoções. Parabéns Francisco, e obrigada.


Capa do disco, fotografia e album design: Brad Todd.

4.12.09

Carmen Miranda (II)

Maria Teresa Horta

só de solidão

nos olhos

e um mundo de silêncio

entre os braços

no mar os pescadores

sem barcos

as searas nas lágrimas

as algas

e a louca vontade

de poder dormir


«só», espelho inicial (1960)







Carmen Miranda



3.12.09

burgueses na moda

realiza-se hoje um desfile de moda no spazio dual, em lisboa, apresentado por «os burgueses - uma ópera urbana», uma nova etiqueta/oficina/conceito. na avenida da república, 41, vai assim contar-se uma história operacionalizada como colecção de roupa destinada ao Verão de 2010. será a I saga de moda desta dupla burguesa constituída pelos jovens designers Marina Pires e Pedro Eleutério.




Luísa e o ambiente

A socióloga Luísa Schmidt apresenta hoje à noite em Évora a conferência «Um clima de mudanças ambientais, sociais e outras: novas respostas» (Biblioteca Pública, 21h30).

Em Lisboa, Luísa comentará dia 15, às 21h30, na Cinemateca Portuguesa, o filme «The trigger effect», de David Koepp (EUA,1996, 94'), num programa dedicada ao ambiente no cinema, em colaboração com a Fundação Calouste Gulbenkian.


2.12.09

Género e política

A Embaixada do Chile em Portugal e a União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR)apresentam hoje a conferência da Presidente da República do Chile, Michelle Bachelet Jeria, sobre Género e Participação Política: a Experiência do Chile, no auditório 3 da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, pelas 17 horas.

1.12.09

S.I.D.A.




















dia mundial de luta contra a SIDA.
usa o laço vermelho.
diz não à discriminação.

30.11.09

Mulheres na arte (III)



Uma exposição, a não perder, para quem está em Lisboa. «There are as many different kinds of art as there are different women» (Linda Nochlin). Reúne várias obras de artistas como Louise Borgeois, Vera Mantero, Paula Rego, Cindy Sherman, Ana Mendieta, Francesca Woodman, entre outros nomes. Atenção ao programa de actividades, que promete também. Curadora e curador, respectivamente: Ana Rito e Hugo Barata.

27.11.09

Amelie



Bom fim de semana!

Violência Contra as Mulheres

Será apresentado amanhã em Lisboa o ramo nacional do observatório sobre violência contra as mulheres do Lobby Europeu das Mulheres, a partir das 9h00, e com encerramento dos trabalhos às 16h30 (Hotel Sana Reno, Av.Duque D'Ávila, 195/197).

25.11.09

Desaparecidas

Este é um dia para lembrar. Definido no I Encontro Feminista Latino-Americano e do Caribe, realizado em 1981, em Bogotá, Colombia, 25 de Novembro é o Dia Internacional da Não-Violência contra a Mulher. A data foi escolhida para lembrar as irmãs Mirabal (Pátria, Minerva e Maria Teresa), assassinadas pela ditadura de Leonidas Trujillo na República Dominicana. Em 1991 foi iniciada a campanha mundial pelos Direitos Humanos das Mulheres, sob a coordenação do Centro de Liderança Global da Mulher, que propôs os 16 dias de activismo contra a violência contra as mulheres, que começam a 25 de Novembro e encerram-se a 10 de Dezembro, data do aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, proclamada em 1948. Em Março de 1999 a Organização das Nações Unidas (ONU) proclamava 25 de Novembro o Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres.

O dia é assinalado hoje em Lisboa com o lançamento da campanha Maltrato Zero, iniciativa que decorre em simultâneo nos 22 países ibero-americanos. O vice-presidente da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG), Manuel Albano, disse à Agência Lusa que a «grande mensagem da campanha é alertar as pessoas para que denunciem situações de violência contra as mulheres, no sentido de ajudar a combater esta realidade. Spots de rádio, televisão, cartazes, informações e um site na Internet são algumas das componentes da campanha.»


Desde o início deste ano já morreram em Portugal 26 mulheres, às mãos dos seus agressores, maridos, ex-companheiros, ou namorados. O ano anterior tinha fechado com o pesado número de 40 mulheres mortas. Mas 2009 ainda não terminou e para já são estas as
Desaparecidas.

24.11.09

Faces de Eva 22


A próxima edição da revista Faces de Eva Estudos sobre a mulher será lançada amanhã, 25 de Novembro, 18h00, Biblioteca Nacional, com a intervenção de Idalina Rodrigues (Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa).
O tema de capa é Carmen de Burgos, a escritora e feminista espanhola também conhecida como 'Columbine' que se correspondia com Ana de Castro Osório, e tinha casa em Portugal. A edição 22 de Faces de Eva é editada, como sempre, pela Colibri e pela UNL (FCSH). Na fotografia, em baixo, vemos as duas intelectuais (à esquerda ACO e à direita Columbine).

23.11.09

Teresa


Na foto: Teresa Lobo, presente na artelisboa (FIL).

19.11.09

Activismo 16

São 16 dias de activismo, contra a violência de género. Consulte a programação na UMAR.

Arte feminista e de género (II)


18.11.09

Maja



Maja Presnell, «The Park».

Idalina

A socióloga Idalina Conde apresenta pelas 18h00, em Lisboa, a conferência «O espaço biográfico contemporâneo». Será no B.203 (Edíficio II) do ISCTE-IUL, onde Idalina Conde é docente em Sociologia da Cultura e Método Biográfico. Investigadora do CIES – Centro de Investigação e Estudos de Sociologia, associado ao ISCTE - realizou em 2008 o Curso de Verão «Falar da Vida: (auto)biografias, histórias de vida e vidas de artistas», no CIES, onde organizou também em Fevereiro último o Seminário «Abordagens Biográficas, Memória, Histórias de Vida» que foi integrado nas comemorações do Dia Internacional das Histórias de Vida (a 16 de Maio) em colaboração com os Projectos Museu da Pessoa, Portugal e Memória Media.
A sessão de Idalina procura recontextualizar um quadro de referência para a sociologia e metodologia biográfica, e através desse espaço biográfico abrir as abordagens possíveis à compreensão das nossas vidas.


Carta de Repúdio (II)

«Ao Embaixador da Turquia em Portugal

Com conhecimento ao Presidente da República, Presidente da Assembleia da República, Grupos Parlamentares, Ministro dos Negócios Estrangeiros

Pela Libertação dos homens e mulheres detidos/as arbitrariamente

Em 28 de Maio, 35 activistas de movimentos sociais turcos, de sindicatos, de organizações de defesa dos direitos das mulheres e de defesa dos direitos humanos foram presos ilegalmente, tendo-lhes sido confiscados computadores, CDs e documentos das instalações da Confederação dos Sindicatos do Sector Público e do Sindicato de Professores, entre outras.
Não foram feitas acusações formais contra estes homens e mulheres, tendo sido alegado que o processo era confidencial.
Presentemente são 22 os detidos, sendo a maioria sindicalistas, professores e quatro membros da Marcha Mundial das Mulheres.
O julgamento que devia ter ocorrido a 8 de Agosto, foi adiado para os próximos dias 19 e 20 de Novembro no 10º Tribunal de Izmir. A este julgamento serão presentes os actualmente 22 detidos e mais 9 outros inicialmente presos e depois libertados.
Os abaixo-assinados manifestam a sua indignação pelas prisões ilegais, pelo lapso de tempo entre as detenções e a acusação e pela demora no julgamento destes activistas turcos, assim como pela confiscação ilegal de equipamento, material e documentos.
Denunciam a repressão que se abate sobre sindicalistas, activistas de movimentos sociais e de movimentos de oposição na Turquia.
Exigem a imediata libertação de todos os detidos a quem prestam a sua solidariedade e o fim da repressão contra os movimentos sociais.»

Carta de repúdio

Solidariedade com os/as activistas presos/as arbitrariamente na Turquia

A Coordenação Portuguesa da Marcha Mundial das Mulheres (a que se associam diversas organizações dos movimentos sociais portugueses, com destaque para organizações sindicais, de defesa da paz, de defesa dos direitos humanos, de defesa dos direitos das mulheres e de defesa dos direitos de imigrantes) está hoje pelas 11h na Embaixada da Turquia para entregar uma Carta de Repúdio exigindo a imediata libertação das 10 mulheres e 12 homens presos arbitrariamente desde o dia 28 de Maio.
A iniciativa é um acto de solidariedade que ocorre junto à Embaixada da Turquia em Lisboa (Av. das Descobertas – 22) e terá muitas outras réplicas em vários países da Europa e em todo o mundo. Estão também confirmadas as presenças de um membro do Comité Internacional da Marcha Mundial das Mulheres e de um dirigente da CGTP- IN em Izmir, nos julgamentos a 19 e 20 deste mês.

Para além destes 22 activistas turcos ainda presos, serão julgadas mais nove pessoas inicialmente detidas e depois libertadas. Sem acusação formal, estes homens e mulheres serão julgados em Izmir a 19 e 20 de Novembro, sendo o seu “crime” o serem sindicalistas do KESK (Confederação de Sindicatos de Trabalhadores Públicos) do Sindicato de Professores Egitim Sem, membros da Marcha Mundial das Mulheres, da Associação de Direitos Humanos e da Assembleia Turca pela Paz.

A Carta de Repúdio subscrita por diversas organizações portuguesas denuncia a repressão que se abate sobre sindicalistas, movimentos sociais e de oposição na Turquia, manifesta a sua indignação pela arbitrariedade de todo o processo num total desrespeito pelos direitos humanos e exige a imediata libertação de todos/as os/as detidos/as.

Os primeiros subscritores:Coordenadora Portuguesa da Marcha Mundial das Mulheres
UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta
Solidariedade Imigrante
CGTP – IN
CPPC – Conselho Português para a Paz e Cooperação
SPGL – Sindicato dos Professores da Grande Lisboa
ILGA – Portugal
AJPaz
Casa do Brasil de Lisboa
SOS Racismo

17.11.09

um sentimento intenso e uma flor


Ao primeiro perfume de José António Tenente vai suceder muito em breve o livro sobre este criador de moda. Para já, o que há a dizer sobre este perfume chega-nos nas seguintes notas: topo - bergamota, flor de laranjeira; coração - amor perfeito, violeta, jasmim, frutos vermelhos, orquídea tropical; fundo - âmbar, couro, almíscar, cedro, chocolate. A essência foi criada e materializada pela I-Sensis (10 anos ao serviço das essências e da «arte da perfumaria, com métodos científicos inovadores, desenvolvidos no âmbito de vários anos de I&D na Universidade do Porto»).
Na foto: Ana Isabel, fotografia de Carlos Ramos.

16.11.09

fim de semana musical

Este fim de semana em Lisboa foi muito musical. Começou com o Júlio Pereira (genial Júlio!) no ccb, com a participação de Sofia Vitória (bela voz Sofia!) nas programações, teclados e voz, e Miguel Veras na viola, e ainda com a participação do coro feminino Cramol (que cantaram dois temas... genial Cramol!).
No sábado havia outro concerto, da Omou Sangaré, no ccb; e a oriente da cidade, tivémos Depeche Mode, o que a julgar pelas fotos de rita carmo e pelas imagens em movimento feitas por alguém no concerto do Pavilhão Atântico, deve ter sido um momento precioso. «Precious».



Depeche Mode em Lisboa, 14.11.09

13.11.09

História das mulheres (II)

HERSTORY
«Esta é a história de mulheres que foram revolucionárias. Estas bravas do início de 1900 fizeram toda a diferença para as vidas que nós hoje levamos. Lembrem-se que só depois dos anos 20 foi garantido o direito de ir às urnas e votar.




As mulheres eram inocentes e indefesas, mas quando na América do Norte as mulheres se manifestaram em frente à Casa Branca, mostrando cartazes apelando ao voto, elas foram presas.


Aquelas mulheres dificilmente sobreviveram ao fim da primeira noite na cadeia, acusadas de "obstrução à via pública". Bateram em Lucy Burns algemaram-lhe as mãos acima da cabeça às grades da cela, e deixaram-na ali durante a noite, sangrando e ofegante.



Atiraram Dora Lewis para dentro de uma cela escura, esmagaram-lhe a cabeça contra a cama metálica e ela perdeu os sentidos. A sua companheira de cela, Alice Cosu, pensou que Lewis estava morta e sofreu um ataque de coração. Outros relatos contam as violências físicas praticadas sobre estas mulheres. Assim se desenrolou a Noite de Terror, a 15 de Novembro de 1917, quando o director da prisão de Occoquan Workhouse, na Virginia, ordenou aos seus guardas que dessem uma lição às sufragistas presas porque elas tinham se atrevido a manifestarem-se pelo direito ao voto.
Durante semanas, a única água que elas tiveram para beber era a de um balde, e a sua comida estava infestada de vermes.

Quando uma das líderes, Alice Paul, iniciou uma greve de fome, amarraram-na a uma cadeira, colocaram-lhe um tubo na garganta e verteram um líquido até ela vomitar. Foi torturada assim durante semanas, até se passar palavra para a imprensa.

Todas as mulheres que sempre puderam votar, deter bens, e gozar de direitos iguais precisam de se lembrar que os direitos das mulheres tiveram de ser conquistados. Sabemos hoje qual o preço que foi pago para hoje termos aqui os nossos direitos?


Este ano comemora-se o o 80º Aniversário do Caso "Persons" no Canada, which finally declared women in Canada to be Persons! »

Knowledge is Freedom: hide it, and it withers; share it, and it blooms (P. Hill)

12.11.09

Telenovela e vida real

Christine Geraghty dará hoje pelas 18h30 uma conferência na Universidade Católica, em Lisboa (Faculdade de Ciências Humanas, sala 121), com o título Soap Operas and Television Studies (As Telenovelas e os Estudos Televisivos).
Christine Geraghty é professora de Estudos Fílmicos e Televisivos da Universidade de Glasgow. Os seus interesses são a ficção televisiva e cinematográfica (em especial a adaptação de romances e peças), o cinema inglês (desde 1939), a teoria da televisão, os géneros ficcionais, as audiências, as estrelas de cinema e os estudos culturais.
Editora do Journal of British Cinema and Television e membro do conselho editorial das publicações Screen, International Journal of Media and Cultural Politics, Art, Design and Communication in Higher Education e Critical Studies in Television, ela dirige a Media, Communications and Cultural Studies Association. Esta conferência integra-se no mestrado de Ciências da Comunicação da Universidade Católica, estando aberta ao público interessado.

10.11.09

Carolina Michaëlis


Carolina Michaëlis (1851-1925) – Joaquim de Vasconcelos (1849-1936): Um Encontro de Culturas e de Saberes é uma exposição integrada num projecto em curso, de carácter interdisciplinar, que tem como objectivo evocar e homenagear aquela que foi a primeira Dou­tora em Letras e também a primeira Professora, a todos os títulos insigne, da Universidade de Coimbra, onde leccionou desde Janeiro de 1912, isto é, desde o primeiro ano lectivo da então recém-criada Faculdade de Letras, até 1925, ano do seu falecimento.
Nos três grandes períodos em que foi dividida a vida e a obra de Carolina Michaëlis de Vasconcelos - Anos de Berlim (1851-1876), Anos do Porto (1876-1912) e Anos de Coimbra e do Porto (1912-1925) - a exposição pretende mostrar o que Carolina Michaëlis nos deixou, como filóloga nacional, prestigiada internacionalmente - uma obra pioneira verdadeiramente gigantesca, que se inscreve na intensa e variada actividade de mediação científica e cultural entre Portugal e a Alemanha por ela desenvolvida desde o primeiro ano em que veio viver para o Porto. Carolina Michaëlis foi uma cidadã empenhada na promoção e no incremento do ensino da criança e da mulher na sociedade portuguesa da sua época.

Organização:
Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra
Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra
Coordenação Científica:
Maria Manuela Gouveia Delille

12 Nov. - 18 Dez. 2009
Segunda a Sexta-feira
10h00 às 12h00 e 15h00 às 17h00
Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra -
Sala de S. Pedro

9.11.09

muros

...há muros que cairam, outros que se levantam... Os piores são os que não se vêem.
«Time» dos Pink Floyd («The dark side of the moon» de 1973) evoca aqui os 20 anos passados sobre a queda do muro de Berlim. Enquanto isto a sinfónica vai tocando junto às portas de Bradenburgo, e de seguida o dominó gigante cairá, simbolizando a queda do muro a 9 de Novembro de 1989.

ditadura versus moda

O designer de moda Emanuel Ungaro participa hoje no Estoril Film Festival com uma intervenção intitulada «Quem dita a moda: Os criadores ou as revistas de moda?», no Centro de Congressos e logo após a projecção do filme September Issue (19h30), de R.K. Culter, um documentário que retrata a história de Anna Wintour e da Vogue, enquanto preparavam a edição de Setembro de 2007.

8.11.09

Feminismos


A realizar-se a 20 de Novembro, em Coimbra (Sala Polivalente do IPJ), o seminário «Para Além do Arco-Íris: Activismos LGBT e Feminista nos 40 anos de Stonewall», organizado pela UMAR e Não Te Prives, visa comemorar os 40 anos da revolta de Stonewall e promover uma reflexão crítica dos activismos LGBT e feminista. Esta reflexão construída a partir de vozes vindas da academia e do activismo, contribui para repensar o futuro destas duas áreas de acção colectiva.

5.11.09

quando a jóia fala


A praia Formosa



A Assírio & Alvim, a Porta 33 e o Museu de Serralves realizam hoje, 5 de Novembro, às 18h30 (Rua Passos Manuel, 67 B), em Lisboa, o lançamento do livro e a inauguração da exposição «Lourdes Castro A PRAIA FORMOSA», com fotografias do seu avô Jacinto A. Moniz de Bettencourt, na ilha da Madeira.

4.11.09

Andrea (II)


A PROVA DE FOGO E DE BALA
Andrea Inocêncio

Açores, Ilha Terceira, Angra do Heroísmo

Casa do Sal

Sexta-feira

6 de Novembro

19h00