hoje

A Professora Flávia Biroli (Universidade de Brasília, Brasil) dá uma conferência na FCSH/UNL, pelas 16h (aud.2, torre B).

A análise da presença de mulheres e homens no noticiário brasileiro nos anos recentes mostra que as primeiras são ora invisíveis, ora têm sua presença associada a estereótipos de gênero. O que se encontra, no entanto, não é a discriminação em suas formas explícitas, mas a preservação de padrões relacionados à divisão sexual do trabalho. A exposição da vida familiar e afetiva, assim como o destaque à aparência e auto-apresentação, constroem a exterioridade do feminino em relação à política. Esse quadro tem impacto para a atuação política das mulheres, ao mesmo tempo que é alimentado por sua subrepresentação na política e por formas atuais da divisão do trabalho político.

Flavia Biroli é professora adjunta do Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasília (UnB), onde ocupa actualmente os cargos de vice-directora do Instituto e coordenadora da Pós-Graduação em Ciência Política. Coordena também o Grupo de Estudos sobre Democracia e Desigualdades e é editora da Revista Brasileira de Ciência Política. É pesquisadora do CNPq. As suas pesquisas e publicações estão concentradas nas áreas de media e política, género e teoria política.

Comentários