Chama

Como podes tirar de mim
o pensamento
um minuto que seja
em nossa cama?

Por ti eu tiro o sono
e enrodilho-o
queimando-o depois à cabeceira

Devagar, então, tiro-te a camisa
e tu despes-me a saia 
pela cabeça

E não há nada que queiramos
inventar
que entre nós meu amor
não aconteça


Só de Amor, «Chama», in Poesia de Maria Teresa Horta, Publicações Dom Quixote, Lisboa, 2009, p.72

Comentários