Chama

Como podes tirar de mim
o pensamento
um minuto que seja
em nossa cama?

Por ti eu tiro o sono
e enrodilho-o
queimando-o depois à cabeceira

Devagar, então, tiro-te a camisa
e tu despes-me a saia 
pela cabeça

E não há nada que queiramos
inventar
que entre nós meu amor
não aconteça


Só de Amor, «Chama», in Poesia de Maria Teresa Horta, Publicações Dom Quixote, Lisboa, 2009, p.72

Comentários

Mensagens populares deste blogue

PROTESTO!