In Memoriam Celestino (1926-2017)


imaginei para ti um cortejo fúnebre cheio de flores a pavimentar as ruas de campo de ourique. 
queria para ti um mar de rosas. nelas, a flutuar, como pétala entre as outras.
desejo para ti a eternidade da palavra 'amor'. estás no nosso coração para sempre.
lembro de ti o que sempre foste para os outros: competente, afectuoso, atento, vivo, e mordaz. enfermeiro, filatelista amador, o melhor pai, o melhor avô, meu tio único, no espírito, no sorriso, nas palavras dedicadas e cheias de afecto. quando encontrares o meu pai, dá-lhe aquele abraço. 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

PROTESTO!